Sintomas do Ceratocone: Saiba como Identificar e Tratar

Sintomas do Ceratocone: Saiba como Identificar e Tratar

Sintomas do Ceratocone: saiba como identificar e tratar.

O Ceratocone é uma doença que tem como características principais o afinamento da córnea com alteração de sua curvatura normal e piora na qualidade da visão mesmo com o uso de óculos.

Como saber se tenho Ceratocone?

Por se tratar de uma alteração na geometria da primeira lente que temos em nossos olhos, os sinais e sintomas que podem ser mais facilmente percebidos têm relação com a nitidez da imagem formada.

  1. É muito comum o desenvolvimento de um alto grau de astigmatismo que não se resolve com óculos por conta da progressão da doença;
  2. Usualmente acomete pessoas mais jovens, adolescentes. Também não é incomum em crianças ou adultos abaixo dos 30 anos. Em pessoas acima dos 40 é menos comum;
  3. Podem aparecer halos em pontos luminosos durante a noite;
  4. Pode haver aumento da sensibilidade à luz;
  5. Visão dupla ou com “fantasmas”;
  6. Se você faz uso de lentes de contato e elas parecem não estar encaixando direito, isso também pode ser um indicativo de ceratocone.

Apesar destes sinais serem indicativos de ceratocone, o diagnóstico só pode ser realizado a partir de exames oftalmológicos como a ceratoscopia computadorizada da córnea ou outro exame que permite a avaliação de sua curvatura.

Qual o tratamento para Ceratocone?

Como o Ceratocone é uma doença progressiva, o tratamento vai variar de acordo com o momento em que se encontra o paciente.

Estágios muito iniciais (Grau 1) podem não necessitar de um tratamento específico, mas o diagnóstico precoce auxilia com cuidados que podem ser tomados. Por exemplo, alguém com ceratocone deve evitar a todo custo esfregar os olhos e pressionar a córnea. Além disso, deve ser feito o acompanhamento de rotina e o tratamento de problemas que possam agravar o quadro, como alergias oculares e meibomite.

A partir de certo ponto (Grau 2) pode ser necessário o uso de óculos ou lentes de contato especiais (rígidas e permeáveis).

Com o passar do tempo a deformação da córnea tende a aumentar até que óculos e lentes de contato não sejam suficientes para a correção adequada (Grau 3) e neste momento a estratégia passa a ser cirúrgica. Podem ser implantados anéis na córnea que auxiliam na manutenção de sua forma original ou ainda a utilização de uma técnica chamada crosslinking que consiste na aplicação de vitamina B2 e tratamento com luz UV-A diretamente sobre a córnea afetada.

Já nos casos mais graves, em que a deformação da córnea não permite a utilização das estratégias anteriores (Grau 4) a solução é recorrer ao transplante de córnea.

Você tem ceratocone e precisa de ajuda? Clique aqui e agende sua consulta.

Fale conosco